Bem Vindo!

Neste blog você encontrará material resumido sobre a história do cristianismo. Há muita informação.
Mas nosso maior desejo é que este material lhe traga sede por um conhecimento aprofundado da Palavra de Deus, pois ela é poderosa para nos salvar e transformar.
Utilize o índice abaixo para fazer pesquisas por século.
Também te sugiro outros textos de reflexão e analise de temas de nosso dia-a-dia que estão listado logo abaixo.

Professor Dionísio Hatzenberger
Whatsapp 51 9260 0200
Facebook.com/Jovens de Fé NH

HISTÓRIA DA IGREJA NO SÉCULO XV

1456 – GUTEMBERG PRODUZ A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA:
Johhann Gutenberg (João), que nasceu na Mongúncia em 1398, inventou o sistema de impressão com caracteres móveis de chumbo, que propiciavam a impressão em grande escala de textos. Era o início da Imprensa.
Em 1456 um grupo do qual Gutemberg fazia parte imprimiu uma cópia da Vulgata, versão latina da Bíblia. Porém a grande inovação de Gutemberg não estaria exatamente na cópia desta versão bíblica, pois a grandiosa maioria da população, bem como boa parte dos padres da época, não liam em latim. Assim, a inovação estava no fato da criação de um eficaz instrumento que posteriormente seria usado pelos reformadores, como Lutero, para imprimir versões da bíblia em línguas populares, como o alemão.

1478 – A INQUISIÇÃO ESPANHOLA É INSTALADA.
Cito Curtis:
“Os governadores espanhóis do fi¬nal do século XV, o rei Fernando e a rainha Isabel, acreditavam que seu pais só prosperaria quando fosse verdadeiramente cristão. Pelo fato de mostrar grande devoção ao catoli¬cismo, os monarcas receberam do papa o titulo de "Reis CatóIicos". Em 1478, pediram ao papa que estabe¬lecesse a Inquisição na Espanha, e eles mesmos seriam os inquisidores.
Muitos judeus e muçulmanos da Espanha aparentemente se converte¬ram ao cristianismo, mas sempre hou¬ve desconfiança de que estivessem praticando secretamente sua antiga Fé. Em 1492, os reis cat6licos expul¬saram todos eles de seu pais.
Tomas de Torquemada, frei dominicano cujo nome se tornaria sinônimo de crueldade, foi o inquisidor geral da Espanha. Embora parecesse um cristão modelo na vida particu¬lar, pois era devoto e negava-se a si mesmo, esse homem letrado levava seu ze1o a extremos. Sob sua direção, muitas pessoas foram levadas a fo¬gueira, ao passo que outros pagavam pesadas mu1tas ou sofriam penas hu¬milhantes.
Como a Inquisição tinha o poder de confiscar os pertences dos condenados, ela nunca ficou sem dinhei¬ro para continuar suas perseguições. Ela também vendia a atividade de "familiar", que transformava a pes¬soa em uma espécie de informante, que desfrutava liberdade, pois, em troca da informação, o delator não era preso.
Embora 0 protestantismo estives¬se se espalhando rapidamente pela Europa, na Espanha ele caiu sob a forte mão da inquisição. Ali, os livros protestantes foram banidos e basta¬va a simples suspeita de que alguém era protestante para que os inquisi¬tores fossem chamados. Embora pou¬cos protestantes executados fossem espanhóis, a lição ensinada pelo mar¬tírio dessas pessoas foi suficiente para que muitos se voltassem para a Igreja Cat6lica.
Como resultado, o protestantismo nunca progrediu na Espanha, como aconteceu em outros paises. Embora os protestantes também enfrentas¬sem perseguição no restante da Eu¬ropa, ela não tinha a mesma Fúria da Inquisição espanhola, que durou ate o século XIX.”

1452 – 1498 – GIROLAMO SAVONAROLA
Nasceu em Ferrara, desde jovem resistia aos ensinamentos humanistas e renascentistas que recebia. Tornou-se monge dominicano zeloso e piedoso.
Em 1490 foi para a cidade de Florença, de onde a família Médici governava, trazendo a cidade para o epicentro da cultura renascentista. Lá Savonarola passou a denunciar a pecaminosidade da cidade em suas pregações, bem como a corrupção e a ambição dos governantes que se diziam cristãos. Savonarola atraiu para sai pregação grandes multidões, foi aí que ele predisse a queda da cidade falsamente cristã, e isto realmente ocorreu em 1492, quando os franceses invadiram a cidade e derrubaram os governantes.
Savonarola tornou-se governante e grandes modificações ocorreram no comportamento da população, que buscava redimir-se de seu comportamento do passado. Porém ele não manteve suas críticas ao comportamento popular, atacando também as atitudes do papa Alexandre VI, que era até mesmo pai de um grande número de filos ilegítimos.
Em 1495, o papa proibiu Savonarola de pregar, este obedeceu. Um ano depois, pensando que ele estava redimido, permitiu-o continuar voltar a pregar. Porém já em 1496 ele voltou a atacar a corrupção que era reinante na Igreja Católica. Em 1497 ele foi excomungado, e, após alguma resistência popular, foi enviado aos embaixadores do papa, que em 1498 queimaram ele e dois seguidores na grande praça da cidade.
Apesar da teologia de Savonarola ser católica, muitos líderes protestantes posteriores viriam a considera-lo um protestante, não por sua teologia, mas por sua busca de que a Igreja e as pessoas vivessem segundo o exemplo de Cristo.

1492 – CHEGADA DOS EUROPEUS À AMÉRICA.

1500 – CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL.

Um comentário:

Licinere da Silva Santos disse...

Meu nome é Licinere da silva Santos, e desejo informar que usei bastante desse material "Historia da Igreja por Séculos" para me orientar em formular uma apostila de historia da igreja para eu dar aulas. Quero somente agradecer por estas postangens.

Leia o texto